Início Tags Futebol e poesia

Tag: futebol e poesia

A Múmia

Na Capelinha da Jaqueira uma múmia sobrevivera. A de Bento José da Costa ou de alguma amante preposta? Ela não fazia fantasma: era mais bem alma gorada, ovo encruado, infermentação, que...

Poema: Garrincha

ele tinha a perna torta perna troncha, distorcida perna errada, perna virada invertida, dobrada, partida era como fosse uma perna por uma bala atingida mas a bala que é...

Poesia: Impedimento

Sonhei com a Mãe África Visitei sue sbaús seculares E lá inda repousavam Fantasmas dos colonizadores Ossos sem pelourinho Bolas jogadas pra escanteio E a paquidérmica incompreensão humana Do qué é Matar...

Círculo Vicioso

Bailando sem jogar, gemia o Macalé: – Quem me dera que fosse o preto Moacir, que vive no Flamengo, estrela a reluzir! Mas a estrela, fitando em...

A Seleção

Vai Rildo, não Amarildo? Vão Pelé e, que bom Mané, O menino gaúcho Alcino e nosso veterano Dino, Altair, rima de Odair, ecoando na ponta: Ivair, e na quadra do...

Cordel: 4º Copa do Mundo Brasil – 1950

A Segunda Guerra impede Duas copas mundiais São as de 42 46 e tem mais Quase não há em 50 Porque a grande tormenta Deixou sequelas demais A Europa é arrasada (Mortos...

Celebrando Garrincha, o santo inventor da ginga

Frente a frente 4 colunas de dois templos em ebulição: raios arqueados oscilam ossos músculos nervos pernas em balanço: arquitetura móvel para o pêndulo da sur- presa. Não se sabe ao certo - dono de um mundo...

Foi-se a Copa?

Foi-se a Copa? Não faz mal. Adeus chutes e sistemas. A gente pode, afinal, cuidar de nossos problemas. Faltou inflação de pontos? Perdura a inflação...

Frevo do Bi

A música que marcou a conquista do nosso Bicampeonato na Copa do Mundo, em 62, no Chile, mencionava Pelé, mas quem comandou a brincadeira...

Um dia após o outro

Aos quarenta e cinco do segundo tempo o goleiro vencido, a bola, sempre faceira, resvala na trava e não entra (todos vêem), e você diz: "porra, hoje...

OUTROS POSTS