Futebol Onipresente: “A Dançarina e o Ladrão” e o obituário de “Cláudio Botelho”

0
783

Como muita gente mundo afora, aqui em casa também somos fãs de Ricardo Darín e há alguns dias, numa dessas tardes de final de semana em casa, procurando algo pra assistir sem saber direito o que queríamos ver, lembramos do ator portenho e passamos a buscar um filme com essa única prerrogativa. Nos deparamos com “A Dançarina e o Ladrão”, nome pelo qual o filme “El baile de la Victoria” foi lançado no Brasil.

O filme se passa no Chile, no período pós-Pinochet e conta a história de um arrombador de cofres que se tornou lenda (Darín) tentando se regenerar e um jovem ladrão sonhando com um único golpe milionário para fugir com seu amor, Victória, uma jovem e pobre dançarina muda que sonha em ser bailarina.

Entre planos e sonhos acerca do grande golpe, a rivalidade futebolística entre Chile e Argentina é lembrada em uma fala ou outra, especialmente quando mostra jovens adolescentes em uma disputa de videogame. O filme vale como boa diversão!
DancarinaLadrao
Também há alguns dias, me deparei com a informação do falecimento do publicitário Cláudio Botelho. Eu não o conhecia e não acompanhava seu trabalho, mas no começo dos anos 90, durante minha faculdade, cheguei a separar alguns nomes de agências de publicidade para onde gostaria de levar o currículo em busca de um estágio e a sua estava entre elas. Não me lembro se cheguei a tentar contato com a empresa, mas esse nome ficou gravado.

Foi por isso e pela menção ao futebol que atentei e li o breve obituário publicado no jornal. O curto texto mencionava que Cláudio queria ser jogador de futebol na juventude e que chegou a jogar nas categorias de base do São Paulo e da Caldense, de Minas Gerais.

Lendo obituários sempre me pergunto se a pessoa fez tudo que sonhou ao longo da vida, se foi realizada pessoal e profissionalmente. Descanse em paz!