Fazendo Música, Jogando Bola – Tite na seleção? É a mesma coisa que Dave Lombardo no Metallica!

0
880

Tite na seleção? É a mesma coisa que Dave Lombardo no Metallica!
Tite
Saudações queridos leitores do Futebol-Arte, Fila Benário na área para mais um “Fazendo Música, Jogando Bola”. Primeiramente, gostaria de pedir imensas desculpas a todos pela ausência da coluna no mês anterior, tive uns probleminhas pessoais e não tive tempo de me dedicar a esse querido espaço que tanto estimo, mas agora tô de volta pra ficar, pois aqui é o meu lugar, como cantava o Robertão.

E no mundo da bola não se falou em outra coisa no dia de ontem: a demissão do técnico Dunga do comando da seleção brasileira (em letras minúsculas mesmo), após mais um vexame histórico da mesma ao ser eliminada pelo Peru ainda na fase de grupos da Copa América.

Não precisava ter bola de cristal para saber que o retorno de Dunga à seleção era inviável, desnecessário e seria vexatório. E foi tudo isso! O grande jornalista André Barcinski já havia cantado a bola eu seu texto Dunga vai dar saudades do Felipão e o castigo veio a cavalo dois anos depois.
DungaSaudades
E agora? Quem vai assumir a bomba? A CBF na pessoa do (mafioso) presidente Marco Polo Del Nero tratou de ir atrás daquela opção que deveria ter sido a primeira logo após o vexame na Copa do Mundo de 2014, e na noite de ontem passou mais de três horas reunido com o técnico Tite, atual campeão brasileiro pelo Corinthians.

A reunião não acertou nada, mas não tem mais pra onde correr, há um interesse e sonho por parte do técnico em assumir a seleção canarinho e há um desespero por parte da (máfia) CBF em atender o clamor da torcida brasileira e assinar com o melhor treinador do Brasil em atividade. Portanto daqui algumas horas, Tite pode ser noticiado como o novo treinador da seleção brasileira.

O que a minha humilde pessoa pensa a respeito disso? Ser técnico da seleção do país é o maior mérito que um treinador pode alcançar e Tite vem fazendo um trabalho magnífico no Corinthians. De 2011 a 2016, Tite conquistou seis títulos (dois Brasileiros, uma Libertadores, um Mundial, uma Recopa e um Campeonato Paulista). Em duas oportunidades teve que recomeçar o time do zero, em 2011 teve que remontar um Corinthians após a saída dos milionários Ronaldo e Roberto Carlos. E em 2015, após as saídas de Emerson Sheik e Guerrero, lá estava Tite com outro abacaxi enorme nas mãos, mas em ambas as oportunidades o técnico soube utilizar as peças a seu favor e se sagrou campeão nacional. Portanto, não há pessoa mais qualificada para o cargo do que ele mesmo para resgatar a moral e os bons costumes da velha seleção brasileira.

E ver, possivelmente, Tite na seleção brasileira depois do medíocre Dunga, me fez relembrar da noite em que o baterista Dave Lombardo subiu no palco com o Metallica.
DaveMetallica
Era ano de 2004 e o Metallica era a atração principal do Download Festival na Inglaterra, só que minutos antes do show o baterista do grupo, Lars Ulrich, teve um mal súbito e foi hospitalizado às pressas. Para a banda não cancelar a apresentação e causar uma revolta coletiva nos fãs, a solução foi convidar alguns bateristas de bandas que integravam o line up do festival para substituir Lars naquela ocasião. Joey Jordison, ex-Slipknot, foi um que encarou a empreitada e assumiu as baquetas em canções como Creeping Death, Enter Sandman, Sad But True e outros clássicos. Mas a presença de Dave Lombardo, na época no Slayer, atrás da bateria do Metallica foi o sonho de qualquer headbanger, por ser considerado por muitos o melhor baterista do gênero metal, por tocar de forma veloz, concisa e esbanjando técnica apuradíssima. Não foi à toa que quando o Metallica subiu no palco com Dave e juntos mandaram as poderosíssimas Battery e The Four Horsemen, ninguém mais se lembrava quem era Lars Ulrich.

Metallica W/ Dave Lombardo – (Battery / The Four Horsemen)

Não desmerecendo toda a trajetória de Lars Ulrich a frente do Metallica, afinal de contas falamos de um dos principais fundadores da banda e que esteve nas gravações de grandes petardos do Thrash Metal como a trinca: Kill ‘Em All (1983), Ride The Lightning (1984), e Master of Puppets (1986). No entanto a verdade é que de lá pra cá Lars não evoluiu mais nada como músico, ficou preso em sua fórmula musical e hoje toca de forma limitada e incoerente com o crescimento do Metallica. Diferente de Dave Lombardo que ao longo da carreira inovou a sua forma de tocar, esteve envolvido com diversos projetos musicais de inúmeros estilos aflorando ainda mais a sua musicalidade.

O mesmo acontece com Dunga e Tite, de um lado temos um “técnico” que teve em seu primeiro desafio como treinador à seleção do país. Nunca precisou se preparar para aquilo, ganhou de bandeja duas vezes o cargo mais cobiçado do mundo sem ter se provado para a tal tarefa. E comandando a seleção ele não mostrou inovação alguma e a mesma foi eliminada de todas as competições que disputou sob o seu comando apresentando o mesmo erro: despreparo. Já Tite sempre busca inovar, estar à frente do seu tempo. Quando o Corinthians o dispensou no final de 2013, o mesmo viajou para Europa e lá fez estágio nos melhores clubes do continente e quando retornou em 2015 para o Corinthians foi campeão brasileiro com esquemas inovadores.

Mesmo que a torcida Corinthiana chore a despedida do seu grande ídolo, o Brasil só tem a ganhar com Tite no comando da amarelinha. No entanto, esse é só o primeiro problema resolvido. Para recuperar o prestigio de ser torcedor brasileiro, precisa-se muito mais do que um Tite no comando, precisa de renovação e transparência principalmente na alta cúpula da CBF, é inadmissível que um bandido corrupto e torturador dos tempos da ditadura militar como o Marco Polo Del Nero continue na presidência da instituição. E também precisamos de um elenco forte, dedicado e que tenha amor à camisa.

Até a próxima, pessoal!!!

Fila Benário ou Vinícius Vieira de Oliveira (como é menos conhecido) é estudante de Jornalismo da FACCAMP e entre uns goles de Sprite, um Rock bem pesado, filmes do Quentin Tarantino e o seu amor incondicional pelo Coringão, mantém o blog musical Fila Benário Music desde 2009.

Os textos e charges publicados na categoria CONVIDADOS, apresentam e refletem a opinião dos mesmos, não necessariamente alinhando-se com a do Blog Futebol-Arte. Sua publicação tem o propósito de apresentar diferentes pontos de vista e estimular reflexões e debates.

#futebolemusica