Livro LAOR – Paixão e Ousadia

0
712

Projeto em fase de captação de recursos via financiamento coletivo.

Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro, ex-presidente do Santos, se recuperou para a vida e falou muito. Confira o resultado neste livro.

Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro queria falar. E, após passar perto da morte nos últimos anos, o ex-presidente do Santos se recuperou para a vida e falou muito. De seu depoimento, surgiu o livro “Paixão e ousadia: uma vida que vale a pena contar”.

Laor falou com detalhes sobre a venda de Neymar ao Barcelona, na transferência mais comentada da história do futebol brasileiro. Também falou sobre Ganso, Robinho, rivais e muitos outros temas dos bastidores da gestão de um clube de futebol.
Laor
Mas quem é Luis Álvaro? Antes da ousadia na gestão esportiva, recusando uma oferta de 30 milhões de euros em nome de um projeto vencedor, o executivo já se arriscava em outras searas, geralmente com o traço de personalidade do arrojo, desafiando a mesmice.

Por exemplo, é o mesmo personagem que liderou com sucesso um protesto estudantil contra o aumento de passagens de ônibus décadas antes do episódio “20 centavos”.

É o mesmo personagem que concebeu um comercial de TV premiado, com Jô Soares, que brincava com a truculência da ditadura militar – em plena ditadura militar!

É o mesmo personagem que não se intimidou diante da mulher que considerava a mais bonita do mundo, uma musa dos anos 80.

Antes de gerir as feras do Santos Futebol Clube, Luis Álvaro passou pela experiência de criar e preparar para o mundo seis filhas, cada uma com sua personalidade. Um homem que ocupou cargos importantes no Banespa, no ministério da Fazenda e no Banco Central, mas que ainda assim conseguiu curtir as belezas do planeta viajando pelos quatro cantos do planeta.

Um homem cuja biografia ideológica e êxito profissional são elementos fundamentais para entender seu período à frente do Santos Futebol Clube – sempre nas manchetes.

Período este vitoriosamente marcado pela conquista do tricampeonato da Copa Libertadores da América depois de quase cinco décadas, do tri Paulista após 42 anos e de uma vitória política que mudou a história do futebol nacional, com o reconhecimento dos títulos pré-1971 – liderou uma audiência com então presidente da CBF, Ricardo Teixeira, que ajudou a premiar seis times populares do País com medalhas de campeão.

Após intensas horas de depoimento, o executivo de futebol mais “fora da caixa” dos últimos tempos tem muito a falar. Uma leitura fascinante para quem viveu o futebol dos últimos anos, para santistas, torcedores de outros times até para quem não se encanta com a modalidade.

Para saber mais e/ou colaborar, acesse https://www.bookstart.com.br/laor.