Fazendo Música, Jogando Bola – Conversa de Botequim

0
743

Conversa de Botequim – Por Fila Benário

Fala galera, Fila Benário chegando com tudo, e se o Roca apitar na área já sabe né? É pênalti com direito a cavadinha.

Antes de mais nada, deixa eu contar uma coisa que aconteceu comigo esses dias, e eu tenho certeza absoluta que ninguém aqui vai acreditar, as vezes nem eu mesmo, mas a prima da vizinha da sobrinha da minha cunhada, pode confirmar essa história que eu vou contar aqui.

Estava eu no botequinho chamado “Futéba” que fica na travessa da Barão de Itapetininga com a Av. Ipiranga, bem no coração de São Paulo. Trabalho lá de segunda-sexta como garçom, e o Roca é meio que gerente da parada toda lá (não basta apenas mandar no blog aqui).

Pois bem, essa semana estava eu lá, dando um duro danado, servindo porçãozinha de panceta, uma chuletinha na chapa, um Cynar com folha de manjericão no meio pra galera, quando de repente, um forte clarão invade a porta do buteco, e desse clarão surge um ser de nariz bem fino, fino, fino, com a cara franzina, cabelinho repartido no meio, uma cara de sono, mas eu reconhecia aquela cara, aquele andar lento, aquele tradicional terninho branco. Olhei, olhei de novo, cocei os zóio e olhei mais uma vez, e tive a certeza, era ele, era o…

– Vai logo atender o freguês – Gritou o Roca, bem furioso.

Cheguei ao lado dele e nem deu tempo de me apresentar, ele já foi logo falando:

– Seu garçom, faça o favor de me trazer depressa uma boa média que não seja requentada, um pão bem quente com manteiga à beça, um guardanapo, e um copo d’água bem gelada.
NoelIsmael
Era ele, era ele, era ele, o Noel Rosa, eu tinha certeza, um dos maiores sambistas da nossa música popular brasileira, estava ali, sentadinho na espelunca que era o Futéba, me fazendo um pedido igualzinho na sua canção mais famosa, a “Conversa de Botequim”.

Mais do que depressa eu anotei os pedidos e sai correndo pra cozinha, falei pro Roca que o Noel Rosa tava ali, mas o carequinha ficou furioso:

– Você tá ficando louco? O Noel Rosa morreu faz mais de 70. anos. Vai trabalhar logo seu vagabundo.

Voltei pra mesa do suposto Noel trazendo tudo que ele havia me pedido, o copo d’água tava até quente de tanto que a minha mão suava ao segurá-lo. Ele virou pra mim com aquela calma e me fez outro pedido:

– Feche a porta da direita com muito cuidado, que não estou disposto a ficar exposto ao sol.

– Sim senhor – respondi, e rapidinho fechei a porta.

Quando eu passava de volta pela mesa, o tal Noel pegou no meu braço e disse:

– Vá perguntar ao seu freguês do lado, qual foi o resultado do futebol.

Ai mais do que depressa eu peguei uma cadeira da mesa do lado, coloquei do lado de Noel, sentei e comecei:

– Ah mas você quer saber o resultado do futebol? Mas é pra já, o futebol seu Noel, tá uma desgraça, uma verdadeira desgraça, o brasileiro, o mundial, tudo.

Noel olhava assustado pra mim e eu continuava:

– Ta uma calamidade, não sei se você ficou sabendo, mas tá rolando o maior escândalo de corrupção na Fifa, a tal entidade máxima do futebol, o FBI, é… o FBI, a polícia dos States, ela baixou no Suíça e prendeu todo mundo envolvido no esquema de corrupção, tráfico de influências e lavagem de dinheiro, e sabe quem tava no meio?

Noel, segurando o pão emplastrado de manteiga, respondeu que não com a cabeça, e eu disse:

– José Maria Marin, aquela múmia que foi presidente da CBF; tão falando que ele tava envolvido no esquema de corrupção, mas pra mim ele foi preso pela morte do Vladimir Herzog.

– Vladimir o quê? – me perguntou Noel.

– Herzog, o jornalista que foi morto na Ditadura Militar. O José Maria Marin era político na época do regime e tava ligado nos esquemas da morte dele, a justiça tarda mais não falha, meu querido.

Peguei o copo quente de água, tomei um gole pra dar uma molhada na garganta e continuei:

– Aí a Fifa tá uma bagunça só, teve novas eleições, o Blatter, que é presidente dessa bagaça, foi eleito de novo e depois desistiu do cargo. O Pelé, aquele que calado é um grande poeta, disse que era bom ter o Blatter na Fifa porque ele tinha experiência, aí depois voltou atrás dizendo que a Fifa precisava de gente honesta – mais um gole da água e continuei – Quem deu outro fora gigante também foi o Ronalducho Fenômeno.

– Ronal… quem?

– Ronaldo Fenômeno, Noel, caramba será que tudo eu vou ter que te explicar? O Ronaldo, duas vezes campeão da Copa do Mundo, três vezes o melhor jogador do mundo, e que encerrou a carreira no melhor time do mundo, o Curintia. Então, ele deu uma entrevista dizendo que o atual presidente da CBF, o Marco Polo Del Nero, deveria renunciar à presidência da CBF, sendo que o Ronaldo na época da Copa do Mundo no Brasil, ganhou um cargo no comitê da organização, e quando perguntaram pra ele se era certo o país gastar tanto com a Copa sendo que tinha outras paradas mais importantes pra cuidar, ele disse: “Não se faz copa com hospitais”.

– O quê? Sério que ele disse isso?

– Tô te falando Noel, o negócio tá de mal a pior, a nossa única esperança é o Romário, o baixinho que resolveu tudo na Copa de 94 nos States, agora é senador no Rio de Janeiro, ele convocou uma CPI para investigar toda essa corrupção no futebol brasileiro, e acredite Noel, vai sair muita sujeira ainda dessa parada toda. Mas fora isso, tivemos a final da Liga dos Campeões, que como diz um grande freguês nosso aqui do Futéba, o Vitor Guedes, “Os fronhas colonizados gostam de chamar de Champions League”. O Barcelona foi campeão em cima da Juventus, da Itália, com direito a gol do menino Neymar. Eu chamava o muleque de Neymala, Neymídia, Neymarketing, e o muleque tá jogando demais – mais um golinho d’água pra molhar a garganta – Começou também a Copa América no Chile, mas me fala, quem que está empolgado com seleção brasileira depois dos 7 x 1 que tomou da Alemanha no Mineirão?!

– O QUÊ??? – disse Noel cuspindo o pão inteiro.

– Não falei que o resultado do futebol era o pior possível?

– Mas vem cá, eu só queria saber do resultado da rodada, queria saber se o time do Fausto, o Maravilha Negra, ganhou a rodada dessa semana?

– Fausto? Maravilha Negra? Rapaz, quem é esse? Que time é esse que ele jogava?

– Vasco, seu inútil – Gritou o Roca lá do outro lado do balcão, espumando de raiva…

– Ah o Vasco? – Disse eu trêmulo – perdeu de 3 x 1 pro Cruzeiro.

– É, bem que você me disse menino – falou Noel, sacando uma nota de 20 reais e enfiando no bolso do meu avental, enquanto se levantava – O resultado do futebol tá de mal a pior.

Noel foi se dirigindo à porta de saída do Futéba, e desapareceu no meio de uma forte luz. E foi isso, acreditem se quiser.

Dia 15 do mês que vem eu estarei de volta, com 27 anos nas costas, a mesma idade com que foi se embora o nosso querido Noel Rosa.

E bora ouvir o mestre na voz da gatona Maria Rita.

*A imagem que ilustra o texto é um desenho de Noel Rosa com o também saudoso compositor Ismael Silva, e como ele se parece muito comigo, fiz uso dela kkkkkkkk.

Fila Benário ou Vinícius Vieira de Oliveira (como é menos conhecido) é estudante de Jornalismo da FAPSP e entre uns goles de Sprite, um Rock bem pesado e o seu amor incondicional pelo Coringão, mantém o blog musical Fila Benário Music.

Os textos e charges publicados na categoria CONVIDADOS, apresentam e refletem a opinião dos mesmos, não necessariamente alinhando-se com a do Blog Futebol-Arte. Sua publicação tem o propósito de apresentar diferentes pontos de vista e estimular reflexões e debates.

#futebolemusica