1ª Final do Paulista 2015: Arbitragem fraca e título em aberto

0
636

Torcer mudou muito! Saíram fraque e cartola para os homens e vestido longo, chapéu e luvas para as mulheres e entraram a torcida única (péssima ideia) e os conceitos de arena, wi-fi, pau de selfie e hashtag. A emoção, no entanto, continua a mesma, com cada torcedor evocando seus deuses, heróis, craques e até mesmo os pernas-de-pau históricos. Vale tudo na final.

Se do ponto de vista técnico a partida foi regular, como costumam ser muitas finais, emoção não faltou. Gols, casa lotada, expulsões e polêmicas. Valdívia e Robinho fizeram falta para a qualidade do evento e o Santos sentiu ainda mais a ausência de seu craque, já que o Palmeiras aprendeu e acostumou-se a jogar sem o seu.

Bastante equilíbrio em boa parte do primeiro tempo, com intensidade maior do Palmeiras, enquanto o Peixe tinha Geuvânio novamente em ótima jornada. Aos 29 minutos, gol de Leandro Pereira para o Palmeiras e reclamação equivocada dos santistas sobre suposto impedimento de Robinho, que não participou do lance.
LeandroGol
Até que no final do primeiro tempo Vinícius Furlan, árbitro da partida, começou a estragar o jogo. Um pênalti escandaloso em Rafael Marques, do Palmeiras, não foi marcado, gerando muita reclamação de parte a parte e, logo em seguida, a expulsão dos dois técnicos.

No retorno para o segundo tempo, certamente já ciente de seu erro, o juiz se perdeu. Inseguro, apitando atrasado e sem sinalizar com clareza suas marcações, foi enervando os jogadores de ambos os times e tornando a final ainda mais tensa. Até que, novo pênalti para o Palmeiras, dessa vez marcado e expulsão do zagueiro Paulo Ricardo, autor da falta e último homem da zaga.

Dudu desperdiçou a cobrança e a chance de ampliar. Faltavam 30 minutos, mas o Santos foi valente, apesar da cera excessiva. O Palmeiras pressionou, mas não soube aproveitar a vantagem numérica para conquistar um placar mais confortável para a partida da volta, na Vila Belmiro, domingo que vem.

Tudo aberto na disputa do título, com a expectativa e a promessa de um jogo melhor no próximo domingo.