Pelas Tabelas – Chico Buarque

0
1145

Chico Buarque, genial como sempre, fez Pelas Tabelas em 1984, num contexto da campanha Diretas Já, movimento que pedia eleições diretas para a presidência da República. Aparentemente chegamos no momento do contra-ataque.

Ouça aqui enquanto lê!
[ca_audio url_mp3=”http://54.198.123.184/wp-content/uploads/Chico-Buarque-Pelas-Tabelas.mp3″ url_ogg=”” skin=”regular” align=”none”]

Passado e presente, gente indo às ruas protestar de camisa amarela. Antes, pedindo eleições, as “Diretas Já”, e agora, com muitos pedindo a volta da Ditadura Militar. Gente batendo panelas também já havia. Naquela época, como agora, o objetivo era demonstrar insatisfação com quem está no poder. A diferença é que durante o regime militar você não tinha outra possibilidade de se manifestar sem correr o risco de ser exilado, torturado ou até mesmo “suicidado”. Agora, bate-se panela para não ouvir o outro ou, no caso, a outra. Lá não havia diálogo por conta dos militares e agora por conta de quem defende sua volta.
Tortura
Antes, havia um bocado de gente descendo as favelas; hoje, a maioria vem dos condomínios. É legítimo, sempre. O que incomoda é a falta de perspectiva e consciência social. Quem nunca protestou enquanto milhões passavam fome e não tinham nem energia elétrica, hoje sai às ruas contra o aumento do dólar e da gasolina. É legítimo, mas aulas de história e um pouco de empatia cairiam bem.

As tabelas a que a música se refere são as trocas de passes perfeitas entre os craques em campo. Ou não. Talvez sejam os acordos perfeitos feitos entre os barões da mídia. Bem que queriam, mas escapamos de ver uma cabeça rolando no Maracanã, ficamos só nos xingamentos.

Corrupção sempre houve, sempre incomodou; a novidade é a efetiva investigação dos suspeitos e prisão dos culpados, o que deveria ser visto como positivo, mas não é. Matamos o carteiro por conta das más notícias.

COMPARTILHAR
Post anteriorSuperclássico
Próximo postDunga Presidente?!
Ricardo Roca
Formado em Comunicação Social e pós-graduado em Administração de Empresas, ambos os cursos pela ESPM, atualmente cursando mestrado em Linguística. Professor universitário, sócio da Roda Fiandeira, consultor nas áreas de comunicação e marketing e apaixonado por futebol e arte.