Retrospectiva Futebolística 2014

0
630

Eusébio, o maior craque da história de Portugal e um dos maiores do mundo, nos deixou. Morreu também Luis Aragonés, ex-técnico que comandou a Espanha na conquista do título da Eurocopa em 2008. O ano também marcou a despedida de Mário Travaglini, ex-técnico; Mário Coluna, ex-jogador e parceiro de Eusébio no Benfica dos anos 60; Bellini, eterno capitão de nossa primeira Copa; os narradores Luciano do Valle e Maurício Torres e o comentarista Osmar de Oliveira; Tito Vilanova, ex-técnico do Barça; Marinho Chagas, um de nossos maiores laterais esquerdos; Fernandão, ex-atacante de Inter e Goiás; Oberdan Cattani, ex-goleiro do Palmeiras desde os tempos em que o clube se chamava Palestra Itália; Assis, ex-Fluminense; Di Stéfano, um dos maiores jogadores de todos os tempos; o ex-árbitro Armando Marques; o jornalista Michel Laurence…
O Ituano foi campeão paulista pela segunda vez. Deu Bahia na Bahia e Ceará no Ceará. Luziânia no Distrito Federal e Estrela do Norte no Espírito Santo debutaram entre os campeões. Cruzeiro em Minas, Sport em Pernambuco, Flamengo no RJ e Internacional no Rio Grande do Sul conquistaram mais um título estadual, assim como Rio Branco (AC), Coruripe (AL), Nacional (AM), Santos (AP), Atlético Goianiense, Sampaio Corrêa (MA), Cuiabá (MT), CENE (MS), Remo (PA), Botafogo (PB), River (PI), Londrina (PR), América (RN), Vilhena (RO), São Raimundo (RR), Figueirense (SC), Confiança (SE) e Intertoto (TO).
O Papa Francisco fez um milagre e o San Lorenzo ganhou a Libertadores pela primeira vez em sua história.
QuaseFinal
Teve Copa. E funcionou.
Na fase de grupos Holanda 5 x 1 Espanha, França 5 x 2 Suiça, Alemanha 4 x 0 Portugal e shows de gols e de torcidas.
Suárez, do Uruguai mordeu o italiano Chiellini. A torcida argentina emplacou o “hit” Decime qué se siente e a bunda do Hulk também emplacou como sucesso nacional, Neymar fratutou uma vértebra após uma pancada do colombiano Zuñiga, David Luiz virou o “namoradinho” do Brasil, Costa Rica e Colômbia viraram sensações, Podolski praticamente virou brasileiro.
Gol da Alemanha!
O Cruzeiro atropelou no Brasileirão.
Gol da Alemanha!
O Galo reabriu a fábrica de milagres.
Gol da Alemanha!
Atuando na Europa, Neymar se consolidou como um dos maiores do mundo.
Gol da Alemanha!
Cristiano Ronaldo atropelou a concorrência pelo título de melhor jogador do ano.
Gol da Alemanha!
Messi continou sendo Messi.
Gol da Alemanha!
O Real Madrid atropelou pelo mundo afora.
Pela primeira vez desde 1925 os quatro grandes clubes de São Paulo não conquistaram nenhum título.
Gol da Alemanha!

Aos 45 minutos do segundo tempo, Oscar fez o que deveria ser chamado “gol de honra”. Honra que só vai ser recuperada com uma completa reformulação da estrutura de poder da CBF e do futebol brasileiro, com a aprovação de uma Lei de Responsabilidade Fiscal do Esporte que estabeleça novas condutas dos dirigentes de nossos clubes e o ressurgimento dos talentos em nossos gramados; tudo que gostaríamos de ver na retrospectiva de 2015.