Final da Copa do Mundo da FIFA 2054 – Por Ricardo Roca

0
876

O dia era especial, final inédita em uma Copa do Mundo; qualquer que fosse o vencedor teríamos um novo campeão mundial de futebol. Tudo pronto, os olhos do mundo todo estavam voltados para essa partida.

ESTÁDIO
O U-Stadium havia sido construído em dois meses, especialmente para o evento, com as técnicas mais modernas de construção disponíveis. No entorno, as plataformas das estações de teletransporte garantiam uma chegada tranquila para os torcedores. A entrada do público era feita por corredores equipados com leitores de retina que identificavam os portadores dos ingressos. Todas as entradas eram equipadas com pisos rolantes que se encarregavam de levar o público diretamente para sua poltrona, de acordo com o ingresso adquirido.

Assentos móveis garantiam visibilidade plena a todos os torcedores e, caso fosse necessário, as câmeras individuais instaladas nas poltronas repetiam os lances por qualquer ângulo, lateralmente, de cima para baixo ou ao nível do gramado. As poltronas mudavam de cor automaticamente a cada partida, de acordo com os times e seleções que entravam em campo, contribuindo para deixar o espetáculo mais bonito.

JOGADORES
GraficosIndividuaisO superdriver T13 instalado na cabeça dos jogadores identificava o melhor momento do ciclo do sono e despertava os atletas. Ato contínuo já transmitia as informações individualizadas sobre temperatura corporal, nível de glicemia e orientações de hidratação e suplementos alimentares necessários para a prática esportiva que se aproximava. As planilhas com orientações táticas preparadas pelo treinador também eram visualizadas e apresentadas em diálogos entre cada jogador e seu driver.

As chuteiras, meias, calções e camisas eram equipados com sensores que liberavam relaxante muscular e água, durante o jogo, de acordo com as reações corporais de cada atleta.

TRANSMISSÃO ESPORTIVA
OndasFIFA
O sistema por hologramas ainda era o mais utilizado. Nele, uma imagem do gramado se abria na sala da sua casa ou no ambiente escolhido pelo líder da transmissão e o espectador podia acompanhar a disputa como se estivesse dentro de campo.

No entanto, um novo dispositivo vinha ganhando mercado, o sistema RR44g, que captava as ondas cerebrais e permitia aos espectadores que acompanhassem a transmissão como se estivessem dentro da mente de cada jogador.

TORCEDORES
Do lado de fora, nos arredores do estádio, depois de troca de insultos e cânticos racistas e xenófobos, uma batalha campal fazia mais algumas vítimas…
BatalhaCampal
…o futuro ainda está distante.

#futeboleliteratura