100 Anos de Palmeiras comemorados com muito Rock

1
1260

100 Anos de Palmeiras comemorados com muito Rock – Por Fila Benário (Vinícius Vieira de Oliveira)
FamiliaPalmeiras
Fala galera! De novo Fila Benário na área, e agora já sabem hein? Todo dia 15 temos um encontro marcado aqui no Futebol-Arte falando sobre duas das maiores paixões da humanidade, o Futebol e a Música.

E já que no último Post nós exaltamos o aniversário de 104 anos do Timão relembrando as canções dedicadas em honra e amor ao alvinegro. Hoje nada mais do que justo prestar uma singela homenagem ao time que nesse ano de 2014 completa exatos 100 anos de fundação. A Sociedade Esportiva Palmeiras.

Com uma trajetória de muitas glórias e conquistas, o Palmeiras é com certeza um dos grandes times do nosso futebol brasileiro. Apesar de não atravessar um bom momento devido à má administração que perpetua o time atualmente, a força e amor incondicional de sua torcida, faz tremular a bandeira e amor dentro do coração de cada palmeirense.

E em comemoração à esse centenário de glória, o Palmeiras compôs um hino oficial à ocasião, porém em estilo não muito comum dentro do futebol brasileiro, o Rock n’ Roll.

Dias de Glória é um Rock n’ Roll enérgico, fazendo ponte com o Hardcore. A canção é de autoria dos produtores Tatola Godas e Lampadinha, e esse último por sua vez é responsável também pela melodia ao lado de Marcelo Boher. O videoclipe oficial conta com a participação de vários torcedores, além do próprio elenco do Palmeiras, representado pelos jogadores Lúcio, Marcelo Oliveira, Bruno César, Wendel, e o chileno Valdívia, que demonstrou tamanha empolgação e satisfação ao interpretar a canção.

Dias de Glória – Família Palmeiras

Importante relembrar que essa não é a primeira vez que Valdívia solta à voz declarando o seu amor ao Palmeiras, em 2007, uma versão do Hino foi gravada e cantada pelo chileno ao lado de dois grandes ídolos da torcida palmeirense: Edmundo e o goleiro Marcos:

Hino do Palmeiras – Valdivia, Marcos e Edmundo

Porém, se o Rock não é um estilo de musica unânime entre os jogadores brasileiros, o mesmo não pode ser dito em relação aos torcedores, já que muitos roqueiros ilustres vestem o manto alviverde e declaram o seu amor ao eterno Palestra Itália.

Os primeiros e mais notórios são os irmãos Cavalera:
IrmaosCavalera
Palmeirenses de coração e alma, Max e Iggor Cavalera, são os principais fundadores da mais importante banda de Heavy Metal brasileira, o Sepultura.

Iniciando a sua trajetória na década de 80, em Belo Horizonte, a capital mineira, a banda rapidamente catapultou o sucesso internacional e lançaram discos que são considerados fundamentais para os amantes do gênero pesado como: Beneath the Remains (1989), Arise (1991), Chaos A.D. (1993) e Roots (1996).

Na autobiografia recém lançada “My Bloody Roots” Max Cavalera relata que os jovens irmãos sempre foram ao estádio ver o Palmeiras jogar, e foi inclusive no meio da bateria da torcida da Mancha Verde que o seu irmão Iggor teve o primeiro contato com a percussão e após curtos passos se tornaria um dos melhores e respeitados bateristas do mundo.

Em 1996 Max deixa o Sepultura e rapidamente monta o Soulfly, e logo no disco de estréia ele já exprime o seu amor pelo futebol regravando a clássica canção Umbabarauma de Jorge Ben Jor.

Umbabarauma – Soufly

Onze anos depois, os Palmeirenses irmãos Cavalera se reconciliam e juntos formam o Cavalera Conspiracy, que musicalmente relembra os momentos de glória do Sepultura.

E em uma época onde o Futebol, o esporte amado por todo brasileiro, se tornou uma imensa rede de intrigas e corrupções, com dirigentes enriquecendo os bolsos e ofuscando a mágica do esporte, uma canção do quilate de Nevertrust (Não confie) do Cavalera Conspiracy vem e muito a calhar.

Nevertrust – Cavalera Conspiracy (Live In France)

OUTROS PALMEIRENSES DO ROCK N’ ROLL

Derrick Green – Sepultura
Derrik_Sepultura
Falando ainda em Sepultura, com a saída de Max Cavalera da banda, o norte americano Derrick Green, foi escolhido para ser o novo frontman do conjunto. E em poucos meses, Iggor Cavalera fez a cabeça do “gringo” transformando-o em Palmeirense, ainda mais com o pretexto do seu sobrenome Green (Verde) refletir as cores do time.

Para desespero dos demais integrantes da banda, o São Paulino Andreas Kisser (Guitarra) e o Atleticano Mineiro Paulo Jr. (Baixo), Derrick adotou o time e hoje é um Palmeirense de coração, além de ser fã de basquete também e torcer para o New York Knicks.

Mike Patton e Billy Gould – Faith No More
FaithNoMore
E não foi apenas Derrick Green que foi levado para “O Lado Palmeirense da Força” por Iggor Cavalera, o mesmo conseguiu fazer também a cabeça dos americanos do Faith No More, principalmente da dupla Mike Patton (vocal) e Billy Gould (Baixista).

Na segunda passagem da banda pelo Brasil em 1995, no festival Monsters Of Rock em São Paulo, Billy Gould se apresentou trajando o manto alviverde.

Billy Gould
BillyGould
No ano de 2009 a banda retornou ao Brasil para se apresentar no festival Maquinaria, também em São Paulo, e no meio do show, Billy dedica a próxima canção do repertório para o Palmeiras, dizendo: “This one is for PALMEIRAS!” e Mike Patton começa a gritar alucinadamente no megafone: PALMEIRAS, PALMEIRAS.

Palmeiras – Faith No More (Maquinaria Festival 2009)

Dois anos depois, na cidade de Paulínia, interior de São Paulo, aconteceu o grandioso festival de música SWU, e o line-up do evento era uma verdadeira celebração ao Rock dos anos 90 com: Raimundos, Duff McKagan’s Loaded, Down, 311, Sonic Youth, Megadeth, Stone Temple Pilots, Alice In Chains, e claro, Faith No More, como a grande atração do festival.

No final do show, o vocalista Mike Patton agradeceu a presença de todos em português: “Obrigado a todos, obrigado Paulínia, Campinas, todo o Brasil, foi ‘Du C****’” e eis que Gould rouba cena e diz: “Ao Palmeiras também”.

Palmeiras – Faith no More (SWU)

Luciano Garcia – CPM 22
Luciano_CPM
Rodeado por dois Corinthianos fanáticos, o baterista Japinha e o vocalista Badauí, o guitarrista Luciano, do quarteto Hardcore CPM 22, também é um apaixonado pelo Alviverde.

E reza certa lenda que no ano de 2008 durante a turnê do álbum Cidade Cinza, a banda foi convidada para tocar no arraial organizado pelo Sport Club Corinthians em sua sede para os seus associados, e Luciano ameaçou subir no palco trajando o uniforme do Palmeiras.

Se a história é verdadeira ninguém sabe, mas alguns vídeos feitos na época por pessoas presentes no show mostram um Luciano tocando em território inimigo à “paisana”. O que não fazemos pela nossa profissão hein?

Marcos Kleine – Ultraje a Rigor
Kleine_Ultraje
Fanático pelo Palmeiras, o guitarrista do Ultraje a Rigor, Marcos Kleine, foi o produtor e arranjador da versão do hino citado acima cantado pelos jogadores Valdivia, Edmundo e Marcos.

Tive a oportunidade de testemunhar a sua fixação pelo verdão, quando a sua banda veio se apresentar na cidade de Jundiaí no dia 25 de maio desse ano, e após o show eu estava aguardando a banda na porta do camarim para uma entrevista para o meu blog musical, quando de repente o Kleine passa por mim e antes mesmo de me cumprimentar ele pergunta sobre o placar do jogo do Palmeiras, que na ocasião havia acabado de jogar uma partida valida pelo Campeonato Brasileiro contra o Chapecoense. E ele não escondeu a frustração quando o informei que Palmeiras havia sido derrotado por dois gols.

Kleine, entre Vanderlei (esq.) e Fila Benário (dir.)
Kleine, entre Vanderlei (esq.) e Fila Benário (dir.)

Kid Vinil
KidVinil
E uma lista de roqueiros palmeirenses não teria graça nenhuma sem a presença de Kid Vinil, o ex Magazine – banda do famoso hit “Tic Nervoso” – e hoje jornalista musical e radialista, é apaixonado pelo alviverde. Participando inclusive de diversos programas esportivos falando do seu time do coração.

AS VERSÕES ROCK DO HINO DO PALMEIRAS

João Gordo
JoaoGordo
Em 1996 a revista Placar, principal publicação sobre o esporte bretão no país, lança uma coletânea com os maiores artistas do país, interpretando os hinos do time do coração. E ficou sob a responsabilidade de João Gordo, vocalista do Ratos de Porão, um dos principais nomes do Punk/Hardcore nacional, interpretar o hino do time do seu coração, o Palmeiras, em uma versão inusitada que transita entre o Punk Rock e o Samba(!), com um João Gordo irreconhecível que canta claramente as silabas, nada semelhante aos guturais e berros desesperadores à frente de sua banda principal.

Hino do Palmeiras – João Gordo

Branco Mello, Paulo Bonfá, Wilson Simoninha e Iggor Cavalera
BrancoBonfaSimoninhaIggor
Em 2004 a revista Placar repete a dose de sucesso e lança a segunda edição do cd de hinos. E dessa vez os interpretes do hino palmeirense foi uma seleção digna de título: nos vocais, Branco Mello dos Titãs e Wilson Simoninha, grande nome da nova soul music brasileira, além de ser filho do celebre e saudoso Wilson Simonal. E completando o ataque, a bateria nervosa do “palmeirense dos palmeirenses”: Iggor Cavalera.

Atuação de gala!

Hino do Palmeiras – Branco Mello, Wilson Simoninha e Iggor Cavalera

Tihuana
Tihuana
E para completar a nossa lista, talvez a versão mais bacana do hino alviverde, feita pela banda Tihuana, famosa pelo grande sucesso Tropa de Elite, a banda capitaneada pelo fanático vocalista palmeirense Egypcio, fez uma versão que em muito se assemelha à famosa música da banda, seja na introdução ou nas guitarras pesadas.

Em diversas entrevistas, Egypcio confessou que a ideia da banda gravar o hino do time surgiu do próprio presidente do clube, Paulo Nobre, que em uma das ocasiões em que se encontraram manifestou muito apreço pela banda e convidou para realizar tal empreitada, que ainda conta com a produção do renomado produtor Rick Bonadio, também palmeirense.

Hino do Palmeiras – Tihuana

Fica aqui os parabéns do Futebol-Arte para todos os palmeirenses apaixonados pelo clube, e parabéns a Sociedade Esportiva Palmeiras que há 100 oferece garra e tradição ao futebol nacional.

Até o mês que vem, “fazendo música e jogando bola…”

Fila Benário ou Vinícius Vieira de Oliveira (como é menos conhecido) é estudante de Jornalismo da FAPSP e entre uns goles de Sprite, um Rock bem pesado e o seu amor incondicional pelo Coringão, mantém o blog musical Fila Benário Music.

Os textos e charges publicados na categoria CONVIDADOS, apresentam e refletem a opinião dos mesmos, não necessariamente alinhando-se com a do Blog Futebol-Arte. Sua publicação tem o propósito de apresentar diferentes pontos de vista e estimular reflexões e debates.

#futebolemusica

1 COMENTÁRIO

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.