O dia que o Brasil foi campeão!

1
640

A tristeza já era esperada pra hoje, além de não ter copa, não tem Brasil na final. Se fossemos finalistas, meu texto já estava pronto, mas como saber que seríamos derrotados e ainda de goleada histórica?

Cansei de ler análises de jogo e sugestões de como o jogo deveria ter sido, resolvi então contar uma história.

Em Junho de 2002, eu tinha 7 anos recém completados, não entendia nada sobre futebol. Eu assistia os jogos e vivia cada emoção. Sim, eu chorava com a derrota e gritava com a vitória, entretanto pouco me importava saber do esquema tático, eu queria gritar gol!

Lembro como se fosse ontem, do meu pai me perguntando se eu queria mesmo acordar de madrugada para assistir aos jogos do Brasil, eu ria cada vez que o Ronaldo (“fenômeno”) passava com aquele cabelo engraçado. Minha irmã era recém nascida e eu prestava mais atenção nela do que nos jogos. A única coisa que eu fazia era gritar!

Eu e minha mãe no hospital, quando minha irmã nasceu. Poucos dias antes do início da Copa de 2002.
Eu e minha mãe no hospital, quando minha irmã nasceu. Poucos dias antes do início da Copa de 2002.

Passada a primeira fase, meu pai me disse que quem perdesse voltava pra casa, era assim. A cada jogo que o Brasil ganhava eu falava para os eliminados: ahhh vão voltar pra casa! Eu não fazia ideia do que isso significava, mas a seleção seguia vencendo.

Grande Final: Brasil x Alemanha

Minha mãe nunca foi grande fã de futebol, mas naquele dia, até ela estava nervosa com o jogo, meu pai gritava escandalosamente e minha irmã só dormia. Me disseram que se o Brasil ganhasse esse jogo, seria campeão do mundo! Na verdade não me lembro de nada do jogo, só sei que quando o Brasil fez um gol, eu e meu pai corremos gritando pela casa e fomos comemorar na varanda.

Não sei se isso foi no primeiro ou segundo tempo, aliás eu nem sabia o que era isso, mas o segundo gol saiu. Novamente fomos correr pela casa e na comemoração, meu pai bateu o pé no sofá muito forte e deitou de dor, eu gritei sozinha e ri muito dele. -Ai filha, eu acho que quebrei meu pé. -Papai o Brasil fez gol, vamos gritar??? Ele se recuperou, fiquem tranquilos.

O juiz apitou e meus pais começaram a falar que éramos campeões! Eu gritava com toda força, chorava e mandava esses “tal de alemães” voltarem pra casa, eu não sabia quem eram esses, nem porque estávamos jogando contra eles. O papai me disse que o campeão era o melhor time do mundo e ficava com a taça. Eu imaginei que eu ganharia uma taça, ou que os jogadores passariam na minha casa, que decepção, nada disso aconteceu. Só eles podiam ter uma taça, não quiseram me dar uma, quanta injustiça, eu também sou brasileira!

Lembro do Cafú (quem eu apelidava de café, por ser mais legal) levantando aquela taça e a beijando, gente chorando, fogos e muitos gritos. Só isso? Eu esperava mais, achei que aqueles “tios” que estavam jogando eram meus amigos e iriamos todos nos encontrar na rua.

Eu só gritei, porque eu vi todos gritando, o Brasil ter sido campeão, não me deu nenhuma taça.

Confesso que eu esperava que o Brasil fosse campeão novamente esse ano, confesso que acreditei que os “tais alemães” fossem pra casa. Sei um pouco mais de futebol agora, do que quando eu tinha sete anos, só um pouco. Ainda não descobri qual a diferença do time de 2002, que também era comandado pelo Felipão, pra esse de 2014.

No começo do jogo, me irritei, depois percebi que os “tios” brasileiros não  iriam fazer nada e desisti, comecei a rir.

Independente de ganhar da Alemanha em 2002 e ser campeão Mundial, foram eles os campeões, eu não, eu nem joguei!

Independente de perder pra Alemanha em 2014 e não avançar para a final, eles perderam, eu não, eu nem joguei!

#centraldofutebol
Tarja_Amanda3

1 COMENTÁRIO

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.