Tribunal dos Megaeventos Esportivos: ação de jovens visa discutir o legado para o Brasil

0
612

TribunalMegaeventosBrasilQual o legado você deseja para os megaeventos esportivos que vão ocorrer no Brasil? Motivados por essa pergunta, jovens da REJUPE (Rede de Adolescentes e Jovens pelo Direito ao Esporte Seguro e Inclusivo) decidiram organizar um tribunal para refletir, ampliar o debate, mobilizar a sociedade e dialogar com o poder público sobre as questões mais importantes acerca do tema. É a terceira edição do Tribunal dos Megaeventos Esportivos no Brasil, agora em Fortaleza (CE), uma realização das ONGs streetfootballworld e Bem-TV, com parceria do UNICEF. O evento ocorrerá em um auditório na Assembleia Legislativa do Estado do Ceará, na próxima sexta-feira, dia 21, a partir das 8h. No fim do dia, uma carta com recomendações será produzida para ser enviada aos órgãos públicos responsáveis.

Os jovens participantes se dividirão em 3 grupos: advogados de defesa, promotores e júri. Os réus são os megaeventos esportivos que ocorrerão no Brasil, como a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016. O debate será conduzido pelos presentes, com diversos argumentos e vasto conteúdo para acusar e defender tudo que envolve o caso, principalmente discutindo quais legados ficarão para o Brasil. “É maravilhoso saber que existirá esse espaço de discussão, pensado especialmente para a juventude. Espero que todo o processo seja tão rico quanto foi nas outras cidades e que as discussões não se mantenham apenas por um dia, mas continuem a instigar as conversas nas escolas, faculdades e outras organizações.”, afirma Marina Saldanha, integrante da REJUPE-CE

Além de aumentar a discussão e tentar alertar a sociedade para o assunto, o tribunal também tem o objetivo de chamar a atenção das autoridades e figuras públicas, tentando levar a debate para outras esferas. No fim do dia, uma carta com os principais assuntos será produzida e destinada aos órgãos responsáveis. “Atividades como essa são importantes para dar visibilidade ao papel do futebol e do esporte para o desenvolvimento social. A sociedade e o poder público podem e devem dar atenção a iniciativas desse tipo”, afirma Mirella Domenich, gerente geral da ONG streetfootballworld Brasil.

Para Marcia Correa e Castro, coordenadora da Bem-TV e mediadora do tribunal, os jovens darão um exemplo de como a população deve se portar diante de assuntos como esse. “Ninguém está colocando em cheque a realização da Copa e da Olimpíada. Mas é preciso manter a discussão sobre esses eventos, e é o que os jovens irão fazer”. Ela ainda conclui ressaltando a importância de encaminhar as propostas a quem possa interessar. “Não queremos que fique só na intenção. Por isso, o resultado da reflexão será encaminhada aos gestores públicos”.

Histórico
Essa será a terceira edição do Tribunal dos Megaeventos Esportivos no Brasil. Em setembro de 2013, no Rio de Janeiro, aproximadamente 80 jovens, de mais de 10 organizações que trabalham com esporte, se reuniram no CCBB para discutir o legado social da Copa do Mundo e da Olimpíada. Em janeiro desse ano, foi a vez de Porto Alegre ser o palco do Tribunal, que aconteceu como uma das atividades do Fórum Social Temático, e reuniu cerca de 60 jovens de diversas organizações no ginásio do estádio Beira Rio. Nas duas ocasiões, cartas com recomendações às autoridades foram feitas e estão sendo entregues aos responsáveis. A realização do Tribunal em outras regiões do país contribui para aumentar o debate entre os jovens e dar um caráter nacional às recomendações destinadas aos governantes.

Fonte: http://www.streetfootballworld.org