Marketing Esportivo?

0
1584

O futebol vem assumindo cada vez mais o papel de entretenimento e como tal, as características dessa “indústria” vão se apresentando de forma similar a de outros negócios. Os gestores (FIFA, confederações, federações e dirigentes em geral) vão buscando profissionalizar a administração dos clubes e campeonatos. Já abordamos algumas vezes esse tema, como por exemplo aqui e aqui.

Os clubes precisam sobreviver e, para tanto, buscam contratar os melhores (e mais caros) jogadores. Para conseguir isso precisam de mais e mais receitas, o que vem sendo obtido com a venda de ingressos, direitos de TV, licenciamento de marca, venda dos direitos econômicos/federativos de atletas e ações de patrocínio e publicidade. No Brasil as ações de patrocínio ainda são muito centradas na venda de espaços do uniformes para marcas diversas, com os clubes funcionando nesse caso, exclusivamente como mídia. Ainda não se deram conta de que o exagero “mancha” as camisas, verdadeiros mantos para os torcedores. É possível desenvolver ações sem a exposição das marcas nas camisas, com foco maior em ativação de negócios.
Marketing_Esportivo
De modo geral, quando se fala em marketing, é necessário dar um “passo atrás” e observar o cenário com maior amplitude, tema que também já abordamos no chamado “caso Neymar“. Que tal inovar um pouco?

Pra dar um exemplo, em dezembro último, o Barcelona (sempre eles?!) anunciou um patrocínio (o primeiro no mundo) do lado de dentro da camisa. A Intel reforça assim seu slogan “Looking Inside” (“Olhando por dentro” em tradução simples). A novidade maior, no entanto, não fica pelo local escolhido para veicular a mensagem, mas pela amplitude da parceria. A empresa vai dar suporte tecnológico para vários programas e ações, com o objetivo de tornar o Barça o clube mais avançado do mundo do ponto de vista tecnológico.
BarcelonaIntel
ATENÇÃO: A ilustração faz parte do trabalho do ilustrador espanhol, Luis Quiles, que faz críticas ácidas (e chocantes) à nossa sociedade contemporânea, abordando temas como preconceitos diversos, drogas, consumismo, política, religião, violência, comportamento e sexualidade. Algumas imagens são fortes, mas se você quer conhecer mais sobre o trabalho do artista, acesse http://luisquilesbd.blogspot.com.br/.