O Futebol está com a Macaca

0
845

Tenho a impressão de que desde 2012 os deuses do futebol resolveram corrigir certas injustiças, com foco maior nos alvinegros, mas não apenas neles.

Em 2012 o Corinthians, ironizado desde sempre pelos rivais por “não ter passaporte”, deu a volta por cima e conquistou a América, de forma invicta, e o mundo, agora de forma incontestável. Esse ano foi a vez do Atlético-MG, contestado por ganhar apenas títulos regionais desde o longínquo Campeonato Brasileiro de 1971, o time brilhou, reverteu situações que pareciam perdidas e também venceu a Libertadores. Nos próximos dias parte em busca do título mundial, provavelmente contra os alemães.

De qualquer forma, Corinthians e Atlético-MG não precisavam exatamente de ajuda divina, até mesmo por suas tradições e porte, caso diferente da mais que centenária Ponte Preta, tradicionalíssima, mas ainda sem conquistas minimamente expressivas e condizentes com sua camisa. Pois na Copa Sul-Americana de 2013 o time vem voando baixo e já despachou de forma categórica, dentre outros de menor expressão, dois campeões mundiais, Vélez Sársfield e São Paulo.
Macaca
Hoje a noite, contra o médio, mas bom time Lanús, da Argentina, com a justa exceção dos bugrinos e dos torcedores de Atlético Paranaense, Botafogo, Goiás e Vitória, que disputam indiretamente com o time de Campinas uma vaga na Libertadores, a Ponte Preta será o Brasil em campo.

Acostumados a chamar os brasileiros de “macaquitos”, os argentinos terão que superar na final justamente a Macaca. Nessa época em que o racismo continua imperando pelos gramados, boa oportunidade para os deuses do futebol darem uma lição nos preconceituosos.

P.S.: ao que tudo indica ainda pode haver mais uma injustiça “corrigida”, com a possível queda do Fluminense para a série B do Brasileirão. Gigante do futebol brasileiro, com inúmeras glórias e a simpatia de todos que gostam de futebol, o Tricolor carioca se beneficiou de algumas viradas de mesa e, segundo campanha que rola nas redes sociais, deve “pagar a segundona”.