Memórias Futebolísticas: Márcia Cristina Silva

0
616

Fui duas vezes a um estádio! Quero voltar para ver o meu Palmeiras ou quem sabe o Brasil. Mas a primeira vez foi inesquecível.

Tinha 5 anos, filha única até então e um dia meu pai me convidou para vermos o Juventus, só ele e eu! Uau, o que mais pode querer uma filha de 5 anos naquela fase edípica lá no topo?

Saímos lá de Guarulhos, minha mãe fez um lanche para nós e meu pai disse que eu teria que ir de shorts. Que pena, eu já amava os vestidinhos mas tudo bem, estava tão animada, tão feliz, que nem liguei muito, só um pouquinho!

Nunca tinha visto tanta gente, tanto homem suado, gritando, cantando, rindo e se abraçando, pois foi isso o que eu vi a maior parte do jogo, mas de tempos em tempos meu pai me erguia nos braços e eu enxergava o campo e depois eu já estava em outros braços, do nosso novo amigo do lado. Mas o melhor foi ouvir aquele monte de palavrão e ninguém dando bronca em ninguém. Acho que devo ter aprendido alguns naquele bom dia!

Não me lembro se teve gol, quem era o time adversário, mas saí de lá gostando mais ainda dos homens, da sua brincadeira com a bola e do meu pai, que mesmo santista, pernambucano bem machão, levou a Filhinha (esse é meu apelido na família) até o estádio da Rua Javari.
Familia_Marcia
Atrás, da esquerda para a direita, Marlene – quase uma mãe fantástica, só peca por ser corinthiana; Pai – quase que o super homem só perdeu o posto por ser santista; no colo, Marcelo – obviamente corinthiano, como todo irmão, é do contra; e na frente, Filhinha, eu – lindinha, graciosa e, claro, só podia ser PALMEIRENSE!

Márcia Cristina da Silva é psicóloga de formação e educadora de atuação. Trabalha nas ONGs Instituto Avisa Lá e Comunidade Educativa Cedac.

Texto escrito especialmente para o Blog Futebol-Arte!