Brasil, um país, um mundo

0
653

A partir da paixão do brasileiro pelo futebol, mostra resgata momentos históricos da Seleção, expõe relíquias e revela interfaces do esporte com a tecnologia, a publicidade e a moda

Entre fotos, vídeos, uniformes, bolas e chuteiras, uma camisa escrito “100% Jardim Irene” faz Cafu, o capitão do penta, voltar no tempo. “O painel de 2002 é a marca mais importante para mim. E é muito bom ter a oportunidade de ver a minha camisa exposta entre tantas maravilhas”, disse o ex-jogador diante do resgaste histórico da Copa da Coreia do Sul e do Japão na exposição “Brasil um país um mundo”, lançada nesta terça-feira (17.12) em Brasília.

Perto do painel do penta, está uma camisa de Pelé autografada por todos os jogadores que disputaram a Copa de 1966. Mas aquele mundial não é, nem de longe, o que mais marcou o rei do futebol. “Se eu começar a falar da primeira Copa em 1958, quando eu tinha 17 anos, é uma coisa inesquecível. Até hoje, o jogador mais novo a disputar uma Copa e, graças a Deus, com o Brasil ganhando. Essas coisas a gente não esquece, como a Copa do Mundo do México, minha última Copa. Todas essas lembranças estão guardadas”, disse Pelé.

A mostra, que será aberta ao público nesta quarta-feira (18.12), no Centro de Convenções da capital federal, resgata a história do Brasil nas Copas, exibe relíquias – como o agasalho de treinamento de Amarildo no Mundial de 1962 e a bola da final da Copa de 2002 – mas vai muito mais além.
Exposicao_Camisas
“A partir da paixão do brasileiro pelo futebol, pretendemos mostrar o esporte de forma mais ampla, porque ele se manifesta em várias frentes: a paixão em si, a diversidade, a fé e a mistura da religião com o futebol, o poder de interromper uma guerra, a tecnologia, a relação com a publicidade e com a moda”, explicou o jornalista e curador da exposição, Ricardo Corrêa.

Na parte dedicada a tecnologia, painéis multimídia mostram a evolução do preparo físico, das bolas, das chuteiras, dos uniformes, dos estádios e as mudanças nas regras. No espaço dedicado a moda, é possível ver como os uniformes de lã deram lugar a outros recortes e estilos, até chegar aos mais modernos, usados atualmente. Os estádios e as características das doze cidades-sede da Copa do Mundo da FIFA 2014 igualmente ganharam um espaço especial na exposição, que também conta com bastante interatividade.

“O futebol tem um aspecto lúdico que a gente mostra aqui. O brasileiro inventou o futebol de botão e o totó, ou pebolim, dependendo da região. O visitante vai poder brincar com isso, também com jogos eletrônicos, e terá um quiz para testar conhecimentos: quem vier poderá votar na Seleção de todos os tempos, a partir de uma pré-seleção feita pela revista Placar”, disse o curador.
Brasil_umpais_ummundo
Chancelado

A exposição “Brasil um país um mundo” conta com patrocínio da Caixa Econômica Federal, do Banco do Brasil e da Petrobras, entre outros, e também é um dos 96 projetos chancelados do Ministério do Esporte no plano de promoção do Brasil para a Copa.

“O projeto destacou-se pela qualidade, amplitude e visão da Copa a partir do Brasil e do mundo. A exposição é um orgulho para todos que apoiaram essa iniciativa. Que ela ajude a divulgar no Brasil a maior festa do esporte do planeta, o maior momento de confraternização, que é a Copa do mundo de futebol”, disse o ministro do Esporte Aldo Rebelo.

A mostra ficará em Brasília até 19 de janeiro, de 10 às 19h, com exceção dos dias 24, 25 e 31 de dezembro, e 1º de janeiro. A entrada é de graça. Depois, a exposição eguirá para as outras onze sedes do Mundial de 20104, até julho. Uma loja de artesanato será montada com produtos e objetos de artistas locais. A renda gerada será revertida para a Associação dos Campeões Mundiais e para a Fundação Cafu.

Revivendo emoções

Em cada uma das cidades por onde a exposição passará, campeões mundiais estarão presentes. Para Clodoaldo, um dos grandes nomes da Copa de 1970, ver objetos e imagens que remetem ao tri é uma oportunidade especial para reviver emoções.

“Sempre que lembro a conquista da Copa do México é com muita emoção, porque é um filme que está na minha cabeça, na minha memória. Cada lance, cada momento, o jogo em que eu perdi cinco quilos contra a Inglaterra, o gol que eu marquei contra o Uruguai, os dribles que eu dei contra a Itália, a bola que eu perdi e que resultou no gol da Itália. Tudo é inesquecível. Quero parabenizar a todos pela iniciativa e certamente vou estar em algumas cidades”, disse.

Confira o cronograma da exposição

Brasília: 18.12 a 19.01.2014
Curitiba: 07.01 a 03.02
Salvador: 10.01 a 06.02
Recife: 06.02 a 06.03
Porto Alegre: 23.02 a 22.03
Natal: 26.02 a 25.03 Fortaleza: 31.03 a 28.04
Belo Horizonte: 13.04 a 10.05
Cuiabá: 14.04 a 07.05
Manaus: 05.06 a 30.06
São Paulo: 09.06 a 15.07
Rio de Janeiro: 11.06 a 14.07

Fonte: Carol Delmazo – Portal da Copa