Greenpeace em Campo

0
448

Ainda dentro da proposta do Blog Action Day para hoje, falar sobre os Direitos Humanos, é impossível não falar sobre o caso do barco do Greenpeace abordado no dia 19/09, no Ártico, pela guarda-costeira russa, quando os 30 tripulantes do Artic Sunrise, inclusive a brasileira Ana Paula Maciel, foram detidos sob a acusação de pirataria.

Há alguns anos tive a oportunidade de trabalhar no Greenpeace Brasil e, até por isso, o caso me chama ainda mais a atenção. Pude ver de perto a seriedade da organização e o envolvimento de todos que ali trabalhavam e trabalham. Mais do que um emprego e um salário, muita gente está ali acima de tudo porque acredita no que faz e no poder de transformação da instituição.

Como é notório, uma das estratégias da organização é realizar ações com grande impacto midiático para chamar a atenção para os problemas. Assim, há alguns dias, durante a partida entre Basel, da Suíça e Schalke 04, da Alemanha, pela Liga dos Campeões da Europa, ativistas abriram um cartaz gigante protestando contra a exploração petrolífera do Ártico e o grupo russo Gazprom.
FBL-EUR-C1-BASEL-SCHALKE-DEMO-GREENPEACE
A escolha dessa partida não foi aleatória, mas em função do fato de o grupo Gazprom, companhia de gás da Rússia ser parceira do time Schalke e dona do Zenit, equipe russa que também participa da competição.

O vídeo mostra a ação dos ativistas, que ficaram pendurados para abrir a bandeira e uma certa “divisão” do público, com vaias e aplausos no momento em que a partida foi interrompida.

O mundo ainda é cheio de injustiças, mas é bom saber que existem pessoas dispostas a fazer algo para torná-lo um lugar melhor. Se você quiser ajudar de alguma forma, pode começar assinando a petição Libertem Ana Paula. Libertem nossos ativistas. É rápido, fácil e o certo a fazer. Eu já assinei!

Apenas para que conste, a partida terminou Basel 0 x 1 Schalke 04.

#OCT16, #Humanrights, #BlogActionDay