O Nome das Coisas – By Houaiss

4
849

As pessoas nem sempre se dão conta de que cada coisa tem seu nome. Por exemplo, CADEIRA (peça de mobília que é um assento apoiado sobre pés, quase sempre em número de quatro, com um encosto e, muitas vezes, braços, com lugar para acomodar, com algum conforto, uma pessoa); você pode até chamá-la por outro nome, mas ela continuará sendo uma cadeira.

Uma confusão comum que as pessoas fazem é sobre a diferença entre o significado de OPINIÃO (julgamento pessoal que se tem sobre determinada questão) e de FATO (informação apresentada como baseada numa realidade objetiva).

Nesse caso recente acontecido em Oruro, quando um TORCEDOR (que ou aquele que torce em competições esportivas) soltou um ROJÃO (projétil – foguete) na direção da torcida adversária, muita gente boa confundiu CULPA (ato voluntário, proveniente de imperícia, imprudência ou negligência, de efeito lesivo ao direito de outrem; fato, acontecimento de que resulta um outro fato ruim, nefasto; consequência, efeito), do torcedor, com RESPONSABILIDADE (obrigação de responder pelas ações próprias ou dos outros), TAMBÉM (indica inclusão; além disso, outrossim, da mesma forma) do clube.

O mais interessante é que isso independe* do que a Conmebol – Confederação Sul-Americana de Futebol venha a decidir sobre OUTROS (algo ou alguém, cuja referência indefinida encontra-se fora do âmbito do falante e do ouvinte, e que se contrapõe, implícita ou explicitamente, a algo ou alguém definido, conhecido; distinto, diferente) fatos.

Nessa história, muita gente está fazendo papel de TOLO (que ou o que é tonto, simplório, ingênuo, que diz ou pratica tolices), porque não acredito que estejam sendo DISSIMULADOS (que ou aquele que dissimula; fingido, hipócrita, falso). Num caso sério assim, isso seria BANDIDAGEM (corja de bandidos; a totalidade dos bandidos).

Se você, assim como eu, ficou sem palavras diante do ocorrido na Bolívia, compre um dicionário; lá tem todas.

(*) Recentemente, diante do caso do gol anulado do Barcos, muita gente defendeu que a ajuda externa, naquele caso, valia; mesmo não ocorrendo em outros jogos. Logo, por COERÊNCIA (ligação, nexo ou harmonia entre dois fatos ou duas ideias, uniformidade no proceder) um fato é INDEPENDENTE (que não é dependente; que goza de inteira autonomia com relação a alguém ou alguma coisa) do outro.

4 COMENTÁRIOS

  1. Interessante o texto, mas continuo achando a punição extrema demais.

    Eu comprei meus ingressos normalmente e não causei dano algum e fui punido. A pena deve ser aplicada para quem cometeu o delito.

    Quanto aos sinalizadores, basta usar com inteligência e ninguém se machuca, fato é que a maioria dos jogos da libertadores acontecem com uma bela festa e ninguém morre.

    É a decisão da Conmebol e devemos aceitar, mas temos que cobrar que ela puna os outros times e, principalmente, o San José.

  2. Ricardo,

    Estou perdendo o tesão em futebol também. Política nem se fala, dá raiva. Mas já tem corintianos postando no facebook fotos da briga em jogo de juniores entre São Paulo e Palmeiras no Pacaembú, onde um jovem morreu e pelo que eu saiba o assassino está preso. Você acha que esse pessoal que adora fazer comparações de violência está ou esteve preocupado com o garoto que morreu semana passada?????? Não consigo enxergar sentimentos bons nesse pessoal. Na minha opinião torcida organizada tem que desaparecer sim e talvez a Dilma venha lembrar o que a Margaret Thatcher fez com as torcidas inglesas após punição dos clebes pela UEFA. É isso

    Abração

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.