Soneto 862 Diferencial

0
586

Em ouro, prata ou bronze todo atleta
quer ver-se medalhado. O brasileiro
está mui raramente no primeiro
lugar, mas marca olímpica inda é meta.

Num campo nosso craque se projeta
— a bola — mas no estádio verdadeiro
— o grego — faz papel pífio e fuleiro
o médico, o ginasta, e até o poeta.

Em medicina, a ponta é só da faca.
Na quadra, o pódio bem de longe é visto.
Vanguarda, em poesia, é pedra ou caca.

Exceto um acidente ou imprevisto,
ninguém no panteão seu nome emplaca
e Glauco ou Piva algum será bem-quisto.

Glauco Mattoso