Seleção Animal

8
1180

Semana passada apresentamos aqui um time avícola, formado por craques (e outros nem tanto) cujos nomes ou apelidos nos remetiam a aves. O sucesso foi tanto que resolvemos montar um time completo do zoológico, um time animal, desfalcado, é claro, dos craques da granja. No gol, apesar de várias opções, como Aranha, ex-goleiro da Ponte Preta, Abelha, que jogou com algum destaque na Ferroviaria de Araraquara nos anos 80, Gato Félix e até mesmo Bagre, o escolhido foi mesmo o rei da selva, Leão, que dispensa apresentações. Nas laterais, Coelho, ex-Corinthians e Atlético Mineiro, e Ratinho, também ex-Timão como titulares, com Gato Preto e Barata no banco.

Na zaga, contrariando a tese de que não dá pra jogar só com o nome, pensei em escalar Onça, ex-zagueiro do Flamengo, Tigre e Touro, para deixar os atacantes adversários com bastante receio de partir pra cima. Como opções ainda teríamos Cavalinho, Lagarto, Tatu e Sardinha. Se o objetivo na hora de escalar os volantes for manter a pegada forte da nossa defesa titular, Roberto Cavalo, que atualmente é técnico e André Jacaré pegam os coletes dos titulares, com Abelha e Siri ficando como opções caso o time precise de mais penetração no segundo tempo.

Do meio de campo para frente o time vai ficando mais leve, com as opções de Walter Minhoca, que atuou por Flamengo e Guarani, Lulinha, atualmente no Bahia, Piolho, Tesourinha, Cordeiro ou Piranha. Os escolhidos teriam a tarefa de municiar nosso ataque. Nesse setor do campo as opções são inúmeras, como Mosquito, Lambari, Jaburu, Bodinho, ex-Internacional de Porto Alegre, Jorge Preá, ex-Palmeiras e Donizete Pantera, ex-Vasco, mas fiquei curioso mesmo pra ver como o time ficaria com aquela zaga forte do começo, os volantes pegadores e a dupla Cláudio e Régis Pitbull no ataque. Certamente o esquema tático seria criado para aproveitar o talento do patrono desse time, Edmundo Animal, que contaria com a companhia de Friedenreich, mais conhecido como El Tigre, no ataque.

Muitos poderiam ser escolhidos como técnico desse time, como Lula, que comandava o Santos de Pelé ou Chico Formiga, que também jogou e comandou o Peixe, mas a escolha tem que ser por Mário Jorge Lobo Zagallo, por tudo que fez em sua carreira. Já a escolha de um mascote seria bem simples, considerando que praticamente todos os times tem algum vínculo com um animal, vide os mascotes mineiros.

Na foto, time do Palmeiras treinando.

COMPARTILHAR
Post anteriorA fogueteira do Maracanã
Próximo postCanta, canta Vascaíno
Ricardo Roca
Formado em Comunicação Social e pós-graduado em Administração de Empresas, ambos os cursos pela ESPM, atualmente cursando mestrado em Linguística. Professor universitário, sócio da Roda Fiandeira, consultor nas áreas de comunicação e marketing e apaixonado por futebol e arte.

8 COMENTÁRIOS

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.