Toninho Cerezo

0
1023

Toninho Cerezo é o craque que faltava aqui no Futebol-Arte para completar o “quadrado mágico” de Telê Santana na Copa de 82. Já falamos de Falcão, Sócrates e Zico, os outros craques do famoso meio de campo da seleção.

Seu estilo de peladeiro não o impediu de conquistar a admiração de várias torcidas ao redor do mundo. Os mineiros, especialmente os torcedores do Atlético o viram nascer para o futebol, entrando para a história com um de seus maiores craques. Os uruguaios o viram ser escolhido o melhor jogador do Mundialito de 81. Os italianos torcedores da Roma e da Sampdoria agradecem pelos títulos que os ajudou a conquistar e os japoneses puderam vê-lo ser escolhido o melhor em campo na final do Mundial Interclubes em 1993, quando o São Paulo venceu o Milan.

Seus apelidos Capitão da Paz e Patrão da Bola mostram muito sobre quem foi Cerezo, assim como sua atitude recente sobre a opção sexual e de vida de seu filho Leandro (Lea T.), que originou o post Homem com H. Como jogador conquistou um Campeonato Amazonense, oito Campeonatos Mineiros, quatro Copas da Itália, um Campeonato Italiano, uma Recopa Européia, uma Supercopa Italiana, duas Recopas Sul-Americanas, uma Copa e uma Supercopa Libertadores e dois Mundiais Interclubes. Como treinador conquistou dois Campeonatos Japoneses, uma Copa da Liga Japonesa e um Campeonato dos Emirados Árabes.