Santos, o clube das Américas

2
824

Eleito pela FIFA o melhor clube das Américas no século XX, o Santos Futebol Clube tem uma longa história de revelação de talentos e títulos. Fundado em 14 de abril de 1912, quase se chamou Brasil Atlético ou Concórdia. Na ocasião de sua fundação, as cores escolhidas para seu uniforme eram o branco, o azul e detalhes em dourado. Rapidamente o clube descobriria sua vocação ofensiva, montando inúmeros times voltados para o ataque. Os primeiros ídolos foram Araken Patusca, que chegou ao clube com 16 anos e o artilheiro Feitiço. Ambos compunham o ataque dos 100 gols com Siriri, Camarão e Evangelista. Esse apelido foi dado pela altíssima média de gols marcados, 6,25 gols por partida, no Campeonato Paulista de 1927, no qual o clube ficou com o vice-campeonato, perdendo o título para o então Palestra Itália.

Em 1935 acontece o primeiro título e a partir daí um longo jejum aconteceu e só teve fim em 1955, com outro título paulista. Era o prenúncio da Era Pelé. O time de 55 já contava com alguns craques como Zito e Formiga. Em 56 outro título e em 58, um time poderoso surgia, com o menino Pelé fazendo 58 dos 143 gols que o time marcaria naquele Campeonato Paulista; dois recordes que permanecem até hoje. A partir daí uma década e tanto de conquistas. O time excursionava encantando o mundo como os Beatles faziam. Uma guerra foi suspensa na África para que a população pudesse assistir suas exibições. Após a aposentadoria de Pelé, surgem os Meninos da Vila, em 1978, com Nilton Batata, Juary, Pita e outros craques já mencionados por aqui. No começo dos anos 2000, outra leva de craques, com destaque para Robinho e Diego. Atualmente, vemos o crescimento de Neymar e a polêmica em torno da saída ou não de Paulo Henrique Ganso para o rival Corinthians.

Ao longo de sua história foram conquistados 18 Campeonatos Paulistas, cinco Torneios Rio-São Paulo, uma Copa do Brasil e oito campeonatos nacionais, dentre Campeonato Brasileiro e Taça Brasil, uma Copa Conmebol, duas Copas Libertadores da América, uma Recopa dos Campeões Mundiais e dois Mundiais Interclubes, em 1962 e 1963. Dentre seus grandes craques, destacamos Gilmar, Dalmo, Clodoaldo, Carlos Alberto Torres, Cejas, Lima, Ailton Lira, Rodolfo Rodrigues, Narciso, Calvet, Manga, Elano, Giovanni, Pagão, Coutinho, Pepe, Serginho Chulapa, Ramos Delgado, Robert, Friedenreich, Guga, Maldonado, Mengálvio, Rildo, Zé Roberto, Joel, Renato, Dorval, Toninho Guerreiro, todos os já citados no texto acima e o maior de todos. Recentemente montou um timaço de futebol feminino, com Cristiane, Érika e Marta, dentre outras.

No dia de sua fundação outro episódio chamou a atenção, o naufrágio do Titanic. Muitos dizem que enquanto um gigante sumia, outro nascia.

COMPARTILHAR
Post anteriorGod vs Evil
Próximo postBayern de Munique
Ricardo Roca
Formado em Comunicação Social e pós-graduado em Administração de Empresas, ambos os cursos pela ESPM, atualmente cursando mestrado em Linguística. Professor universitário, sócio da Roda Fiandeira, consultor nas áreas de comunicação e marketing e apaixonado por futebol e arte.

2 COMENTÁRIOS

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.