Juventus, o Moleque Travesso

0
824

O simpático clube da zona leste de São Paulo já foi considerado o segundo clube de todo torcedor. Foi fundado em 20 de abril de 1924 com inspiração no clube italiano de mesmo nome, da cidade de Turim. No entanto, no lugar das cores branca e preta desse clube, adotou a cor grená. Se a origem dessa escolha é controversa; alguns dizem que foi em função do Torino, principal rival da Juventus italiana, enquanto outros apontam uma homenagem à Fiorentina, também da Itália, o certo é que seu uniforme é um dos mais bonitos do Brasil.

Seu estádio, na Rua Javeri, é um dos mais simpáticos e agradáveis, mas possui apenas cerca de 7 mil lugares. Já foi palco de muitas histórias e passagens inesquecíveis, a principal foi a partida em que aconteceu o gol mais bonito de Pelé. Em 1930 acontece algo que vai se repetir muitas vezes, e que dá origem a seu apelido, Moleque Travesso. O Juventus vence o Corinthians por 2 x 1, surpreendendo a todos. O jornalista Thomaz Mazzoni, o mesmo que deu nome aos clássicos paulistas, batiza a travessura do clube iniciante com esse apelido.

Vários craques já vestiram sua camisa, como César Luis Menotti, mais conhecido pelo título que conquistou como técnico da seleção argentina na Copa de 78, Julinho Botelho, Ataliba, Deco, Luizinho (Pequeno Polegar), Nico, Betinho, Manfrini, Elias, Deco, atualmente no Fluminense, Rocha, com passagens por Palmeiras e seleção brasileira, Luisão e Alex, zagueiros que atuam na Europa e na seleção, Naves, Lino, Picinin e Brecha, provavelmente o maior ídolo do clube. Conquistou um Campeonato Brasileiro da Série B, um Campeonato Paulista da Série A2, um Campeonato Paulista de Futebol Feminino, um Torneio Início e vários outros de menor expressão. Mais que isso, conquistou um lugar no coração dos paulistanos de todas as cores.

COMPARTILHAR
Post anteriorQuem não faz, leva
Próximo postConcurso: Identidade Visual
Ricardo Roca
Formado em Comunicação Social e pós-graduado em Administração de Empresas, ambos os cursos pela ESPM, atualmente cursando mestrado em Linguística. Professor universitário, sócio da Roda Fiandeira, consultor nas áreas de comunicação e marketing e apaixonado por futebol e arte.