Clarice Lispector, o futebol e a vida

0
693

“Não, não imagine que vou dizer que futebol é um verdadeiro balé. Lembrou-me foi uma luta entre vida e morte, como de gladiadores. E eu – provavelmente coitada de novo – tinha a impressão de que a luta só não saía das regras do jogo e se tornava sangrenta porque um juiz vigiava, não deixava, e mandaria para fora de campo quem como eu faria, se jogasse (!). Bem, por mais amor que eu tivesse por futebol, jamais me ocorreria jogar… Ia preferir balé mesmo. Mas futebol parecer-se com balé? O futebol tem uma beleza própria dos movimentos que não precisa de comparações”.

Extraído da crônica Armando Nogueira, Futebol e Eu, Coitada, de Clarice Lispector, em que ela desafia Armando Nogueira a escrever uma crônica sobre a vida. E agora eu, euzinho, ouso dizer que quando escrevia suas crônicas sobre futebol, ele já estava falando sobre a vida.

COMPARTILHAR
Post anteriorMascotes Mineiros
Próximo postAs circunstâncias e o inusitado
Ricardo Roca
Formado em Comunicação Social e pós-graduado em Administração de Empresas, ambos os cursos pela ESPM, atualmente cursando mestrado em Linguística. Professor universitário, sócio da Roda Fiandeira, consultor nas áreas de comunicação e marketing e apaixonado por futebol e arte.