Bola de Meia Bola de Gude

0
636

Qualquer coisa mais ou menos cilíndrica serve para jogar bola quando se é criança. No meu caso, íamos aos Achados e Perdidos da escola e pegávamos os copinhos de lancheiras esquecidas nos pátios. Minha expectativa era grande para chegar antes do horário de entrada. Depois o jogo era repetido no intervalo das aulas, na época chamado de recreio e mais um tantinho na saída. A emoção e a disputa eram as mesmas de jogar com uma bola de verdade. Na rua a situação era parecida; na falta de alguém com uma bola, jogávamos com latinhas, embalagens vazias e até pedras pequenas.

A música de Milton Nascimento e Fernando Brant fala de como a pureza desses meninos ainda vive dentro de nós, mesmo que esquecida ou deixada meio de lado pela correria da vida adulta. Volto a perguntar aqui: Qual a lógica que nos leva a abrir mão de um dos maiores prazeres de nossas vidas em nome de uma vida de prazos, prestações e loucura?