Minha Corintiana

9
1419

Dizem que quando escolhemos alguém para viver conosco, com o tempo, passamos a amar também os defeitos dessa pessoa. Minha querida Edi é tão cheia de qualidades que, certamente tinha que ter algum grande defeito: é corintiana. Seu time é herança de seu pai, Mário Fonseca, que há alguns anos acompanha o alvinegro a partir de outro plano. Na verdade, em sua família são todos corintianos: sua mãe, Alida, Vitché, irmãos, cunhados, primos, tios, tias…

Assim como meu pai, foi democrática ao extremo, deixando que nossa Ceci, minha pequena palmeirense, observasse minha empolgação com o tema e pouco a pouco se definisse pelo lado verde da força. Se não é apaixonaaaada por futebol, ao menos sempre soube me ouvir falando a respeito e consegue captar a essência e a beleza do que lhe apresento sobre esse tema. Essa é minha forma pessoal (e original) de retribuir um pouco da fantasia e beleza que ela me traz no dia a dia.

Assim como acontece com Pelé, a data de seu aniversário também é controversa, mas como é craque, faz parte da seleção de outubro, ao lado de Garrincha, Maradona (tema do post de amanhã), Yashin e muitos outros. Mais que isso, é a craque, a capitã e a artilheira do meu time.

COMPARTILHAR
Post anteriorGarrincha, o extraterrestre
Próximo postMaradona e la mano de Dios
Ricardo Roca
Formado em Comunicação Social e pós-graduado em Administração de Empresas, ambos os cursos pela ESPM, atualmente cursando mestrado em Linguística. Professor universitário, sócio da Roda Fiandeira, consultor nas áreas de comunicação e marketing e apaixonado por futebol e arte.

9 COMENTÁRIOS

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.