Fazendo Música, Jogando Bola – Se fosse músico, Adriano Imperador seria o Scott Weiland

0
422

Se fosse músico, Adriano Imperador seria o Scott Weiland – Por Fila Benário
AdrianoScott
Fala galera, Fila Benário na área “Fazendo música e jogando bola”, e dando chapéu até na lua.

Esses dias eu estava batendo um papo com um grande brother, o Fernando Arouche, ele é musico, baterista da banda Metamorffose, uma das grandes revelações do novo Rock nacional (ouça o trampo dos caras Aqui. Entre uma das nossas conversas começamos a falar de um grande ídolo que temos em comum, o Sr. Scott Weiland.

Ao mesmo tempo em que Weiland teve uma carreira sensacional e primorosa como vocalista de duas grandes bandas de Rock dos últimos vinte anos: Stone Temple Pilots e Velvet Revolver, essa mesma carreira ficou manchada pelos inúmeros escândalos por drogas, prisões e baixa produtividade.

Acabada a nossa conversa, eu me pus a pensar: “Se Scott Weiland fosse um jogador de futebol, qual ele seria?”, e mais do que depressa o primeiro nome que veio a cabeça foi dele: Adriano, O Imperador.

Comecei associar a história de ambos, desde a infância até o alcance do sucesso, os prêmios, a lucratividade e por fim os escândalos e o ostracismo. E as comparações batiam tanto que cheguei a conclusão de que se trata da mesma pessoa.

Vamos às comparações!

INFÂNCIA
AdrianoScottCriancas
Adriano Leite Ribeiro nasceu no dia 17 de fevereiro de 1982, na Vila Cruzeiro, favela localizada no bairro da Penha, no Rio de Janeiro. Enquanto Scott Richard Kline nascia no dia 27 de outubro de 1967, na cidade de San José no estado da Califórnia. O sobrenome Weiland veio aos cinco anos de idade quando foi adotado pelo seu padrasto David Weiland.

Enquanto Scott passou por Ohio e depois voltou para Califórnia, Adriano passou toda sua vida na Vila Cruzeiro. O que tem em comum ambos os personagens? Uma história comum que fazia ninguém dar absolutamente nada por eles.

JUVENTUDE
AdrianoScottAdolescentes
Com 18 anos de idade, Scott Weiland monta a sua primeira banda, o Mighty Joe Young, junto com os integrantes: Eric Kretz (Bateria) e os irmãos Dean e Robert DeLeo (Guitarra e Baixo respectivamente). Juntos começam a tocar por todos os bares da Califórnia.

E foi exatamente aos 18 anos de idade que Adriano, que já fazia parte das categorias de base do Flamengo, foi promovido ao time profissional em 2000. Nesse mesmo ano ele foi convocado pela primeira vez para a seleção brasileira.

PRIMEIROS PASSOS DO SUCESSO
AdrianoScottSucesso
No ano seguinte, Adriano foi vendido para a Inter de Milão, e logo no primeiro jogo ele marcou um gol em cima do Real Madrid. Depois ele foi emprestado para a Fiorentina e para o Parma. Voltando definitivamente para a Inter em 2004.

As apresentações do Mighty Joe Young começaram a chamar atenção de diversos produtores e executivos musicais, e foi em um desses shows que a trupe de Scott assinou o contrato com a gravadora Atlantic e mudaram o nome da banda para Stone Temple Pilots.

A GLÓRIA
AdrianoScotGloria
Em 1993 o Stone Temple Pilots lança o seu primeiro álbum, Core. O disco pega carona no sucesso da explosão do Grunge de Seattle e Plush vira hit instantâneo, chegando a ganhar no ano seguinte o prêmio Grammy de “Melhor Performance Hard Rock”.

Stone Temple Pilots – Plush

Com 15 gols em 16 partidas disputadas, Adriano conseguiu a vaga de titular absoluto na Inter de Milão, e fui justamente nessa época que ele ganhou o seu famoso apelido: O Imperador, em alusão ao imperador romano Adriano (76 d.C. – 138 d.C.). Mas não foi apenas o apelido que ganhou nessa época, Imperador também conquistou a Copa Italia de 2005 e 2006, e o Scudetto de 2006, 2007, 2008 e 2009.

Pela seleção brasileira, Adriano conquistou a Copa América de 2004 e a Copa das Confederações de 2005.

Adriano al Inter

A QUEDA
AdrianoScottQueda
Com o falecimento do pai no ano de 2006, Imperador começa dar os primeiros passos em falso na sua brilhante carreira. Ele não conseguiu marcar um gol sequer durante a temporada, e mesmo convocado para a Copa do Mundo de 2006 na Alemanha, não pode fazer muita coisa e o Brasil foi eliminado nas quartas de finais pela França. Com o baque, Adriano recorreu ao álcool.

Em 1994, com o lançamento do segundo disco, Purple, Scott Weiland passa a abusar freqüentemente do uso de drogas, fazendo a banda cancelar pela metade a turnê que estava em andamento.

ESCÂNDALOS ATRÁS DE ESCÂNDALOS
AdrianoScottEscandalos
Dois anos depois o Stone Temple Pilots lança o seu terceiro álbum Tiny Music… Songs From The Vatican Gift, porém mais problemas de Scott com drogas, impede a banda de entrar em turnê.

No ano de 1998 ele lança um disco solo, intitulado de 12 Bar Blues, mas não houve tempo de planejar uma turnê, no mesmo ano ele foi preso por porte de drogas em Nova York. No ano seguinte a banda lança o seu disco mais pesado, Nº4, e com diversas referências ao histórico Junkie de Scott Weiland, o próprio título do disco, o Nº4, é a forma como a heroína é chamada pelos usuários. Pruno, uma das canções do álbum, é o nome de uma bebida feita dentro da prisão.

Porém duas semanas antes do lançamento do disco, Scott é preso novamente por uso de drogas, sendo sentenciado a um ano de prisão. Cumprindo sete meses de prisão, Scott enfim ganha liberdade e no ano de 2001 a banda lança o seu quinto álbum, Shangri La Dee Da, mas não foi suficiente para conter os seus escândalos. Em 2003 a banda encerra as atividades.

Após ser barrado pelo técnico Roberto Mancini devido ao seu baixo rendimento, Adriano se afoga ainda mais no álcool e chega a alegar à imprensa italiana que era a única forma de se libertar da depressão que sentia por ter perdido o pai e por morar sozinho na Europa longe da família e dos amigos.

Como tentativa de resgatá-lo, a diretoria do Inter teve a idéia de emprestá-lo por seis meses ao São Paulo Futebol Clube, com a premissa de recuperar o seu bom futebol. Imperador jogou o primeiro semestre de 2008 no time tricolor e fez uma excelente campanha, levando o time para a semifinal do Campeonato Paulista – perdendo para o Palmeiras – e marcando 17 gols em 28 jogos do time na Copa Libertadores.

Porém de volta à Itália o seu rendimento foi o pior esperado, chegando a marcar 5 gols em 19 jogos. Enquanto isso, festas em sua mansão com participações de garotas de programa e regadas a drogas, eram realizadas com freqüência.

No ano seguinte Adriano simplesmente desaparece. A imprensa italiana o dava como morto, vários boatos surgiram falando que ele havia sido seqüestrado por traficantes na Vila Cruzeiro e executado.

No dia 9 de Abril de 2009, Adriano enfim aparece e em uma coletiva de imprensa ele declara que se afastava do futebol por tempo indeterminado.

A VOLTA POR CIMA E ALGUNS TROPEÇOS
VoltaTropecos
Depois da declaração, a Internazionale rescindiu de forma amigável o contrato com Adriano. Um mês depois de ter dito em rede mundial que “Havia perdido a alegria de jogar futebol”, o mesmo assina com o seu time do coração, o Flamengo. E com uma campanha heroica, o Flamengo foi campeão brasileiro no mesmo ano, e Imperador foi o artilheiro do torneio com 19 gols marcados.

Lá no ano 2003, após o fim do Stone Temple Pilots, Scott Weiland é convidado para integrar uma das maiores super bandas formada na virada do milênio, o Velvet Revolver. O line up da banda era formado por Slash, Duff Mckagan e Matt Sorum – Ex-Guitarrista, Ex-baixista e Ex-Baterista do Guns n’ Roses, respectivamente.

Dessa união improvável nasceu um dos álbuns mais sensacionais, Contraband, lançado em 2004, é o casamento perfeito entre o Punk Rock, Hard Rock e o Rock de garagem. Canções como Slither, Set Me Free, e a belíssima balada Fall To Pieces ganharam o público. No mesmo ano a banda ganhou um prêmio Grammy na categoria de “Melhor Performance Hard Rock” por Slither.

Velvet Revolver – Slither

Mas quando tudo parece perfeito para os nossos personagens, o caos insiste em reinar. Antes mesmo do lançamento de Contraband, Scott estava acompanhado de uma mulher no estacionamento do seu apartamento, quando foi surpreendido pela polícia e preso por porte de drogas. Após o pagamento de fiança ele foi liberado e narrou a experiência na canção Fall To Pieces.

Velvet Revolver – Fall To Pieces

Adriano também foi caso de polícia em 2010. Após participar de um amistoso com a seleção brasileira, Imperador e mais dez jogadores do Flamengo vão para o Morro do Chatuba do Rio de Janeiro para um baile funk, no entanto, Joana Machado, noiva do jogador, aparece no local aos gritos e apedrejando o carro dos jogadores. Boatos que ela teria sido amarrada em uma árvore por traficantes a pedido de Adriano, fez com que a polícia fechasse o cerco contra o atacante. Na época o goleiro Bruno, que ainda não havia revelado a sua face de assassino deu a seguinte declaração à respeito do caso.

Polêmica na entrevista do goleiro Bruno do Flamengo sobre Adriano

No mesmo ano após ser eliminado da Copa Libertadores, Adriano se envolve em outra polêmica com a polícia, Adriano teria comprado duas motos e uma delas foi registrada no nome da mãe de uma traficante que controlava o Morro do Chatuba. Sem contar uma série de fotos que vazaram, com Adriano posando segurando fuzis.
AdrianoFuzil
Em 2007 o Velvet Revolver lançou o seu segundo disco, Libertad, mas ao contrário do primeiro lançamento, o álbum não foi bem aceito pela crítica e pelos fãs. Scott era duramente criticado pelos fãs de Guns n’Roses, que não viam no vocalista o mesmo alcance e potencia vocal de Axl Rose.

E são nessas provações que a história de Adriano e Scott Weiland se funde mais uma vez. Para fugir da polícia, Adriano volta para Itália e vai jogar no Roma. Para fugir de críticas, Weiland volta para o Stone Temple Pilots.

A SEGUNDA VOLTA POR CIMA E MAIS TROPEÇOS
VoltaTropecos2
Na volta para o Stone Temple Pilots, a banda lança em 2010 o álbum auto-intitulado que foi aclamado pela crítica, a banda sai em turnê e passa pela primeira vez no Brasil no mesmo ano.

No mesmo 2010, Adriano assina com a Roma, mas totalmente fora de forma ele deixa o time sem ter marcado um gol em partidas oficiais.
Em 2011 ele assina com o Corinthians e marcando um gol em cima do Atlético Mineiro, ajuda o clube a conquistar o seu quinto título nacional.

Tudo perfeito né? SÓ QUE NÃO. No mesmo 2011 o Stone Temple Pilots baixa novamente no Brasil para se apresentar no festival SWU, em Paulínia, e quem esteve presente (eu mesmo) viu um Scott visivelmente “chapado” e cantando as músicas de forma arrastada e desafinada.

Stone Temple Pilots – SWU Festival 2011 (Full Show) HD

Em 2012 Adriano, que estava inscrito para disputar a Libertadores da América pelo Corinthians, depois de faltar à inúmeros treinos e sessões de fisioterapia foi demitido do clube com apenas dois gols em sua passagem. No mesmo ano o Flamengo demonstrou interesse em repatriá-lo, mas após faltar sucessivamente a diversos treinos, o time desistiu da sua contratação. Em 2014, dois anos depois da sua última partida oficial, ele foi anunciado pelo Atlético Paranaense sob um contrato de produtividade, ele jogou uma partida da Copa Libertadores e marcou o único gol do time na derrota de 2×1 diante do The Strongest.

Após faltar dois treinos consecutivos, Adriano teve o seu contrato reincidido.

Contrato reincidido também teve Scott Weiland no Stone Temple Pilots, no ano de 2013 a banda lhe um pé na bunda, não agüentando mais a sua falta de profissionalismo e comprometimento com a banda e anunciou para o seu lugar Chester Bennington do Linkin Park.

Stone Temple Pilots (w / Chester Bennington) – Out Of Time (Hard Rock Live 2013) HD

O AGORA E O NADA
AgoraNada
Scott Weiland anunciou uma nova banda, o Wildabouts, lançou um disco recentemente, o não tão empolgante Blaster, mas ele voltou aos holofotes graças a essa apresentação bizarra onde ele canta totalmente desafinado e visivelmente chapado.

Looks like scott weiland is back on the heroin

Adriano tentou voltar para futebol anunciando um pré acerto com o clube francês, Le Havre. As negociações não avançaram e Adriano continua sem clube.

Resta alguma dúvida agora de que se fosse músico, Adriano cantaria no Stone Temple Pilots. E se fosse jogador de futebol, Scott Weiland teria o apelido de O Imperador?

Até mês que vem galera.

Fila Benário ou Vinícius Vieira de Oliveira (como é menos conhecido) é estudante de Jornalismo da FAPSP e entre uns goles de Sprite, um Rock bem pesado e o seu amor incondicional pelo Coringão, mantém o blog musical Fila Benário Music.

Os textos e charges publicados na categoria CONVIDADOS, apresentam e refletem a opinião dos mesmos, não necessariamente alinhando-se com a do Blog Futebol-Arte. Sua publicação tem o propósito de apresentar diferentes pontos de vista e estimular reflexões e debates.

#futebolemusica